Publicidade

Últimas Notícias

BOMBA - GRUPO ROVEMA E ADÉLIO BAROFALDI ENTRAM NA JUSTIÇA PARA ANULAR VENDA DO CONSORCIO SIM

O contrato de Compra e Venda teve a anuência do Prefeito Hildon Chaves.

A CENTRAL ADMINISTRAÇÃO E PARTICIPAÇÕES S/S LTDA e ADÉLIO BAROFALDI, ajuizaram ação de rescisão contratual contra MARCELO ALVES CAVALCANTE e METROPOLITANA AUTO ÔNIBUS EIRELI, pretendendo rescindir contrato de compra e venda com cessão e transferência de quotas de sociedade por quotas de responsabilidade limitada. 

A CENTRAL ADMINISTRAÇÃO é a controladora do GRUPO ROVEMA.

BAROFALDI alega que MARCELO CAVALCANTE e suas empresas  estão sistematicamente descumprindo as obrigações estabelecidas no instrumento de contrato, e que esse descumprimento está lhe causando vultosos prejuízos.

A Central Administração e Adélio Barofaldi Sustentam que, mesmo notificados em diversas oportunidade, Marcelo e suas empresas não adotam providências para regularizar a situação.

Eles Indicam as cláusulas contratuais descumpridas e apontam os prejuízos que vêm sofrendo. Invocam a legislação que entendem aplicável ao caso, assim como apresentam os precedentes jurisprudenciais que reportam pertinentes. 

Além do processo de rescisão do contrato, os reclamantes aduzem ainda que a referida ação tem  os requisitos necessários para a concessão de tutela de urgência. E por esse motivo, requerem a concessão de tutela de urgência antecipada, para que os requeridos lhes entreguem imediatamente a administração da empresa negociada e, ao final, que o pedido seja julgado procedente, com a rescisão contratual e restituição das quotas transferidas, inclusive com alteração do contrato social. 

Os reclamantes apresentaram diversos documentos para comprovar o não cumprimento quase que integral do contrato de compra e venda formulado em março deste ano e que contou com a anuência do prefeito Hildon Chaves. CLIQUE AQUI para relembrar como foi feita a venda do Consórcio SIM.

A venda das cotas do IDEAL para Marcelo Alves Cavalcante foi pautas de dezenas de matérias em todo o estado de Rondônia e este blogueiro chegou a alertar do perigo dessa transação não dar certo, e por causa disso, inclusive, foi processado pela empresa CENTRAL ADMINISTRAÇÃO E PARTICIPAÇÃO, e agora todos sabem que a transação não deu certo e que é quase impossível o empresário ADÉLIO BAROFALDI conseguir reverter essa transação, já que diante da lei, tudo foi feita corretamente.

concessão de tutela de urgência antecipada já foi indeferida pelo Ilisir Bueno Rodrigues.


Nenhum comentário

Deixe aqui sua mensagem e sugestões.