Publicidade

Últimas Notícias

O "USO IRREGULAR DE VERBA INDENIZATÓRIA" PODE LEVAR VEREADORES PARA A CADEIA

EM UBERLÂNDIA/MG, 12 VEREADORES SEGUEM PRESOS POR USO IRREGULAR DESSA VERBA E PELA PRATICA DA "RACHADINHA"

Vinte vereadores de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, foram presos no dia 16 de dezembro em duas operações do Ministério Público de Minas Gerais contra irregularidades na Câmara Municipal daquela cidade.

Mandados judiciais contra 19 vereadores foram cumpridos na ação principal, batizada de "Má Impressão", que apura desvio de verbas de gabinete por meio de serviços de impressão. Um dos presos já estava no Presídio Professor Jacy de Assis.

A Operação "Má Impressão" investiga desvio de recursos da verba indenizatória de gabinete da Casa por meio de uso de notas fiscais frias de gráficas, segundo o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MPMG.

Já a OPERAÇÃO PODEROSO CHEFÃO  apura crimes de organização criminosa, peculato e lavagem de dinheiro por dirigentes e empresas com ligação à Cooperativa dos Transportadores de Passageiros e Cargas (Coopass) e à ATP, prestadoras de serviço de transporte escolar à Prefeitura.

Dos 20 vereadores presos no final do ano passado, 12 ainda seguem presos e 11 suplentes tomaram posse no lugar do titulares presos, mas na última segunda feira 13/01, 4 deles pediram renuncia do cargo, já que também estão com seus nomes ligados a diversas irregularidades e podem ser presos a qualquer momento. 

Os parlamentares estão entre os investigados por uso irregular da verba indenizatória com notas fiscais frias de gráficas. Atualmente, 11 vereadores seguem no Presídio Professor Jacy de Assis e outro está no centro de correição da PM. Na última semana, três conseguiram liberdade.

Hoje, seis vereadores enrolados com a tal pratica de "rachadinha" e fraudes com o uso da verba indenizatória, já pediram renuncias de seus mandatos.

Uberlândia hoje conta apenas com nove vereadores aptos.

Nenhum comentário

Deixe aqui sua mensagem e sugestões.