Publicidade

Últimas Notícias

URGENTE: MARCOS DONADON É PRESO PELA PF E GAECO


Parlamentar estava foragido desde abril do ano passado
Foi capturado nesta sexta-feira, 08, o ex-deputado Marcos Donadon. De acordo com as informações obtidas pelo site, as investigações levaram ao paradeiro do ex-presidente da Assembléia Legislativa foram iniciadas em Vilhena. A operação batizada como “Ricercato” envolveu agentes da Polícia Federal e do Gaeco.

Donadon estava foragido desde abril do ano passado, quando o STF decidiu validar as prisões em segunda instância. Nos últimos meses, várias diligências haviam sido feitas na tentativa de localizá-lo.

O FOLHA DO SUL ON LINE foi um dos primeiros veículos de comunicação de Rondônia a confirmar a prisão. O ex-deputado estava na casa da esposa, a deputada Rosângela Donadon na capital. Ele não reagiu à abordagem e as autoridades não informaram onde ele será mantido preso.

Veja abaixo, na íntegra, a nota emitida para dar detalhes da prisão:

MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL e POLÍCIA FEDERAL prendem o ex-deputado foragido Marcos Donadon

No final da tarde desta sexta-feira (08), o ex-Deputado Estadual de Rondônia Marcos Antônio Donadon foi preso em Porto Velho, em operação conjunta integrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público de Rondônia e pela Polícia Federal em Rondônia.

Em março de 2016, com base no atual entendimento do STF, o MPRO requereu e obteve a expedição de mandados de prisão definitiva em desfavor dos condenados na Operação Dominó, sendo deflagrada a Operação Hefesto para os cumprimentos. Em abril de 2017, após intensas buscas, o GAECO localizou e efetuou a prisão da ex-deputada Ellen Ruth Cantanhede Salles Rosa, prosseguindo as diligências, em conjunto com a Polícia Federal, em relação ao foragido Marcos Donadon.

OPERAÇÃO DOMINÓ
A operação Dominó foi deflagrada em 2006 para investigar desvios na Assembleia Legislativa de Rondônia e culminou na prisão de 20 pessoas ligadas aos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. 

Estima-se que R$ 70 milhões foram desviados em contratos fraudulentos. Os acusados foram julgados em 2008, mas recorreram do processo, adiando a execução provisória condenatória expedida pelo TJ-RO.

Fonte: Folha do Sul 
Autor: Da redação

Um comentário:

Deixe aqui sua mensagem e sugestões.